Um blog onde damos primazia à informação curta, clara e concisa
Domingo, 29 de Junho de 2008
Centro Interpretativo Megalithica Ebora foi inaugurado no Convento dos Remédios

 

Megalithica Ebora foi o nome dado ao centro interpretativo do património de Évora que a Câmara Municipal de Évora e a Faculdade de Belas-Artes inauguraram hoje, Dia da Cidade de Évora, pelas 17 horas, no Convento dos Remédios.

O centro interpretativo Megalithica Ebora foi desenvolvido no âmbito de um protocolo de parceria entre a Câmara Municipal de Évora e a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, tendo o trabalho científico sido desenvolvido pelos alunos. Neste projecto colaboraram também a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e o Grupo de Estudos do Megalitismo Alentejano, tendo a coordenação científica estado sob a responsabilidade do Prof. Manuel Calado (FLL) e do Prof. Luís Jorge Gonçalves (FBAL).

Este espaço expositivo permanente abarca dois importantes períodos da história da formação da cidade, nomeadamente o período megalítico e o período romano, dos quais existem inúmeros vestígios que assumem uma particular importância na valorização patrimonial da cidade de Évora e na região envolvente.

De acordo com a autarquia, o património megalítico existente em Évora é particularmente notável, não só no contexto nacional, mas igualmente ao nível ibérico e mesmo europeu, uma importância evidente nas inúmeras antas e recintos preservados, que ainda podem ser visitados hoje em dia. Os vestígios da cidade romana Liberalitas Iulia têm como seu ex-libris o Templo Romano, incorrectamente denominado de Templo de Diana, situado no topo da colina da cidade, e um dos elementos mais representativos da passagem dos romanos pelo território que é hoje Portugal.

O centro interpretativo Megalithica Ebora é um núcleo expositivo que é encarado pela edilidade como o embrião de um futuro centro interpretativo mais alargado da cidade e do concelho de Évora, previsto para o Rossio de S. Brás. O núcleo interpretativo destina-se ao público em geral - população e visitantes - devendo ser a valência educativa, à partida, a mais importante, nomeadamente os públicos das escolas básicas e secundárias.

Dos conteúdos expositivos realça-se um conjunto importante de representações e reconstituições das estruturas de ocupação do território, de habitats e de monumentos, representados em maquetas, elaboradas pelos alunos de Belas Artes. Algumas destas reconstituições, pela sua qualidade e raridade, constituirão uma importante mais valia para a divulgação, conhecimento e interpretação do património arquitectónico e arqueológico da cidade. É de assinalar que algumas das peças expostas foram gentilmente cedidas pelo Museu de Évora.

 



publicado por noticiasevora às 10:35
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





posts recentes

Ciclo de Concertos Promen...

Em Montemor-o-Novo há mús...

Évora recebe “Tool Fair” ...

Câmara Municipal de Évora...

Évora homenageia “Manel d...

Reguengos de Monsaraz com...

Telemedicina já efectuou...

Évora comemora Dia Mundia...

Montemor-o-Novo comemora ...

Mora comemora 25 de Abril...

arquivos

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

blogs SAPO
subscrever feeds